Iom Hashoá


President George W. Bush visits the Hall of Remembrance Friday ...

Iom Hashoá Vehagvurá, também conhecido como Dia da Lembrança do Holocausto e do Heroísmo, ocorre no dia 28 do mês judaico de Nissan. Refere-se às atrocidades cometidas contra o povo judeu durante a Segunda Guerra Mundial. Este é um dia em memória para 6 milhões de judeus assassinados pelos nazistas e seus apoiadores.

O Holocausto foi a maior manifestação de antissemitismo na história recente. Iom Hashoá nos lembra dos horrores que judeus e outros grupos perseguidos enfrentaram: trabalho forçado, fome, humilhação e tortura, bem como o assassinato em massa, em escala indsutrial. Foi um esforço sistemático para eliminar uma população inteira da face da Terra.

Muitos comemoram Iom Hashoá acendendo um candelabro com 6 velas em memória das vítimas. A maioria das sinagogas e comunidades judaicas se reúne para marcar o dia por meio de orações, depoimentos de sobreviventes, filhos/as e netos/as, música e histórias relacionadas à época.

Como esta data foi escolhida?

Alguns rabinos em Israel pretendiam que fosse criado um Dia de Kadish junto a algum dia de jejum do calendário judaico, no mês de janeiro. Por outro lado, havia judeus seculares que sugeriam fixar o Dia do Holocausto em 19 de abril, início do Levante do Gueto de Varsóvia, para enfatizar a resistência de jovens como os nossos jovens, liderados por Mordechai Anielewicz, do movimento juvenil sionista e socialista Hashomer Hatzair, que decidiram lutar até a morte contra os nazistas e servem até hoje de exemplo para judeus sionistas, sensibilizados e atentos ao ovo da serpente nazifascista – e que nos dias atuais encontra, facilmente, locais de acolhimento para crescer.

Decidiu-se por fim que o Dia em Memória do Holocausto seria uma semana antes do Dia da Independência do Estado de Israel.

Iom Hashoá hoje

Hoje é cada vez mais relevante lembrar a memória dos que foram mortos na Shoá. Vivemos dias em que agredir pessoas com base em (des)valores políticos ou religiosos acontece a cada minuto, diante dos nossos olhos. Somos atacados o tempo inteiro por mensagens nas redes sociais. Podemos pensar em como tem gente disposta a perder o seu tempo compartilhando tantas acusações, maledicências, fake news, e por que elas querem que percamos nosso tempo precioso de vida junto com elas. Por que??

Termos como “fascista”, irmão do “nazista”, antes lançados no lixo da história, voltaram às bocas das pessoas. No passado, uma das táticas nazifascistas era desumanizar o outro: os judeus eram vistos e chamados de piolhos, seres degenerados, seres inferiores. A mesma tática é aplicada hoje em dia. Muitas vezes com judeus, muitas outras com outros grupos perseguidos.

Temos a obrigação de brecar este movimento já, vindo de que lado vier. O Dia do Holocausto é um Sinal de Pare. Não temos o direito de ultrapassar o sinal. A chave de ouro que norteia o Judaísmo é a posição de Hilel: Não faça aos outros o que você não gostaria que fizessem com você, e ame o seu próximo como a si mesmo. O resto é o resto.