Tu BiShvat

Tu Bishvat (o dia 15 do mês judaico de Shvat) é o feriado do ano novo das árvores no calendário judaico.

A Mishná, obra central da tradição rabínica compilada no séc. II, aponta quatro diferentes inícios de ano. Um deles é 15 de Shvat, dia de lua cheia, é Rosh Hashaná Lailanot, o Ano Novo das Árvores, símbolo da nossa conexão com a natureza.

No séc. XVII, o rabino Itzchak Luria de Tzfat (Safed) e seus discípulos criaram um ritual, o Seder de Tu Bishvat, que explora os temas cabalísticos da festividade.

A cada ano, nesta época (segunda quinzena de janeiro ou início de fevereiro), somos convidados a refletir e participar ativamente da renovação, preservação e recuperação dos recursos naturais.

Nada mais sábio, diante dos desafios relacionados à mudança climática e da reação da natureza à exploração irresponsável dos seus recursos, em um processo reconhecido judaicamente como uma profanação da Criação Divina.

O texto bíblico afirma que o ser humano é uma árvore do campo. A Torá é Étz Ḥaim, a Árvore da Vida para quem a mantem. Preceitos bíblicos, como o Ano Sabático e o Ano do Jubileu, estabelecem a nossa obrigação de uma conexão orgânica e respeitosa com a natureza.

O mais correto e generoso, nesta época, é plantar árvores. Talvez não desfrutemos de seus benefícios, mas nossos filhos e filhas poderão se beneficiar de um mundo mais preservado se nós nos prontificarmos, neste dia e durante o ano, a recuperar a natureza e impedir que outros a destruam.

EcoKashrut

A proposta estimulada pela renovação do espírito e das práticas judaicas conhecida como Jewish Renewal e compartilhada pelos movimentos Reformista e Massorti, é termos uma prática ecológica que vá além das tradicionais atitudes associadas às mitzvot no que diz respeito aos alimentos. Devemos assumir o compromisso com um consumo ético que: leve em conta a dimensão social do trabalho envolvido na produção, evite o sofrimento animal; e não faça uso de insumos prejudiciais à natureza e ao ser humano, parte integrante da mesma.

Em Tu Bishvat podemos incorporar ou renovar o compromisso com a EcoKashrut que, nas palavras do rabino Sérgio Bergman, se converte “em um valor ético integral que recupera a dimensão holística da nossa visão espiritual de Tikun Olam. No símbolo de uma árvore, cada um de nós tem raízes – um legado que nos sustenta – e frutos que deixaremos às próximas gerações.”

Em Israel, no Hemisfério Norte, Tu Bishvat ocorre no meio do inverno, quando o frio começa a ceder, as chuvas diminuem e as flores das amendoeiras começam a brotar.

Em Tu Bishvat plantamos árvores com diversos objetivos: em memória de familiares e amigos já falecidos, em homenagem a uma pessoa ou instituição, para nos conectarmos com o Estado de Israel e aumentarmos a consciência ecológica, estimulando a preservação e recuperação dos recursos naturais.