Judaísmo Reformista

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Resultado de imagem para reform judaism egalitarian

Princípios do Judaísmo Reformista

fonte: UJR-Amlat (União do Judaísmo Reformista para a América Latina)

Judaísmo Reformista: Valores e Práticas

Organização, adaptação e tradução: Rabino Uri Lam

O Judaísmo Reformista está comprometido com os princípios centrais do Judaísmo – Deus, Torá e Israel.

Deus. Afirmamos a Existência e Unicidade de Deus. O Povo Judeu está vinculado a Deus por brit olám, aliança eterna refletida em variadas compreensões da Criação, da Revelação e da Redenção. Todo ser humano é criado b’tzelem El!ohim, à imagem de Deus; toda vida humana é sagrada. Embora Deus tenha nos criado como seres mortais, o espírito dentro de nós é eterno.

Interagimos com Deus por meio da reza, do estudo, do cumprimento de mitzvot bein adam la-Makom (entre o ser humano e Deus) e bein adam leḥaverô, (entre o ser humano e seus semelhantes). Nossa fé nos fortalece em meio a: enfermidade e cura, transgressão e arrependimento, luto e consolação, desespero e esperança. Temos fé de que, apesar dos males contra o nosso povo e dos sofrimentos de outros povos, a parceria entre Deus e a Humanidade prevalecerá.

Torá. Fundamento da vida judaica. Reconhecemos a revelação contínua de sua sabedoria e seu registro do relacionamento do nosso povo com Deus. A Torá é uma manifestação de ahavát olam, do amor eterno de Deus pelo Povo Judeu e pela humanidade. Devemos nos dedicar ao estudo da Torá: em casa, na sinagoga, em qualquer lugar. O hebraico nos aproxima  da essência da Torá. O estudo da Torá nos leva ao cumprimento das mitzvot e à santificação de nossas vidas.

Israel. Somos o Povo de Israel, cuja aliança ancestral e história singular nos torna testemunhas da Atuação de Deus no mundo. Estamos comprometidos com Ahavát Israel, o amor pelo Povo Judeu; e Klal Yisrael, com a totalidade do Povo de Israel; Kol Israel arevim zé lazé, todos os judeus são responsáveis ​​uns pelos outros. Defendemos o pluralismo religioso e cultural como expressão da vitalidade comunitária judaica. Devemos incluir pessoas de todas as idades, de todas as famílias, de qualquer orientação sexual; nascidos judeus ou convertidos ao judaísmo.

O Judaísmo Reformista tem suas raízes na história e nas tradições do Povo Judeu. Ao mesmo tempo, nossos rabinos e comunidades buscam periodicamente renovar as práticas e orações, de modo que mantenham o equilíbrio entre os valores do passado e da época em que vivemos.

O Judaísmo Reformista está comprometido com os rituais, os serviços religiosos e a comemoração dos feriados religiosos. O Shabat nos chama a estender os mais elevados valores morais para os demais dias, fazendo com que a semana de trabalho culmine com kedushá (santidade), menuḥá (descanso) e óneg (prazer, alegria). Os Iamim Noraim, entre Rosh Hashaná e Iom Kipur, nos chamam a prestar contas de nossas ações. Os Ḥaguim – Pessaḥ, Shavuot e Sukot – nos levam celebrar a jornada religiosa do nosso povo no contexto da mudança das estações. Os dias de Izkor, em memória, nos fazem recordar das tragédias e triunfos que moldaram a experiência histórica do nosso povo, ontem e hoje.

O Judaísmo Reformista está comprometido com o Estado de Israel. Incentivamos a aliá, imigração para Israel. Defendemos a visão do Estado de Israel que promova plenos direitos civis, humanos e religiosos para todos os seus habitantes e que se esforce pela paz duradoura com seus vizinhos. Estamos comprometidos com o fortalecimento do Judaísmo Reformista em Israel.

O Judaísmo Reformista está comprometido com a igualdade absoluta entre homens e mulheres, em todas as áreas da vida judaica. Foi o primeiro movimento a ordenar rabinas e ḥazaniot (cantoras religiosas) e a eleger mulheres presidentes de sinagogas. Este compromisso precisa avançar; o objetivo é considerar judeus e judias iguais em direitos e deveres, de modo incondicional.

O Judaísmo Reformista está comprometido com a justiça social. Como parceiros de Deus no processo de Tikun Olam, a reparação do mundo, herdeiros do monoteísmo ético dos profetas, acreditamos que Deus se preocupa conosco e que os males da sociedade têm precedência sobre os mistérios do céu. Devemos buscar tzédek, justiça: reduzir o fosso entre ricos e pobres, agir contra qualquer discriminação e opressão, proteger os recursos naturais.

O Judaísmo Reformista está comprometido com a mitzvá de tzedaká. Devemos doar parte dos nossos ganhos e do nosso tempo para quem precisa. Assim traduzimos as palavras da Torá em obras de nossas mãos.

O Judaísmo Reformista está comprometido com a inclusão. Entendemos a necessidade de limites entre o judaísmo e a sociedade maior, mas em vez de definir com cada vez mais precisão os limites para manter pessoas do lado de fora, investimos tempo e energia para encontrar soluções judaicas que incluam mais gente em Klal Israel – ao Povo Judeu como um todo.

O Judaísmo Reformista está comprometido com a parceria entre rabinos/rabinas e lideranças laicas. Devemos respeitar a autoridade e a erudição dos rabinos e rabinas; mas em vez de só obedecer ou só refutar,  buscamos decidir juntos. Em outros lugares, a regra costuma ser que os grandes rabinos decidem; ou que a Assembleia ou o Conselho Rabínico decide; o Judaísmo Reformista prefere compartilhar aprendizados entre as lideranças religiosas e laicas.

O Judaísmo Reformista está comprometido com a Coexistência. Procuramos o diálogo e a ação conjunta com pessoas de outras religiões, na esperança de que, juntos, possamos trazer paz, liberdade e justiça para o mundo.

Fontes:

Rabino Eric H. Yoffie, Por Que Ser Reformista.

Princípios do Judaísmo Reformista (CCAR, 1999)[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]