Judaísmo Massorti/Conservador


Resultado de imagem para masorti movement egalitarian

Princípios governantes

A organização judaica Massorti Olami (Movimento Conservador Mundial) atua na promoção dos interesses e princípios do Judaísmo Massorti. Esta trabalha com todos os demais braços do movimento para ser um porta-voz eficaz do Judaísmo Massorti, enfatizando:

1. O Estudo da Torá no sentido mais amplo e a transmissão de seus princípios de geração em geração.

2. A Unidade do Povo Judeu e a promoção de laços entre judeus onde quer que vivam.

3. A Centralidade da Sinagoga na vida do povo judeu.

4. A Prática Judaica como Centro, dinâmica, baseada em halaá e mitzvot, ancorada no conhecimento e na observância judaicos, refletindo amor pela tradição; abraçando a modernidade e os aspectos positivos da mudança.

5. A Centralidade de Israel e o conhecimento e uso da língua hebraica na vida do povo judeu.

6. Os Valores do igualitarismo, do pluralismo, da tolerância e da democracia no desenvolvimento da tradição judaica.

Tradição e Modernidade

O Movimento Massorti respeita a diversidade de práticas religiosas em seu compromisso com o pluralismo haláḥico – a ideia de que opiniões múltiplas (e opostas) sobre as exigências da lei judaica podem ser consideradas igualmente legítimas.

Mulheres

A igualdade entre homens e mulheres é explicitamente afirmada nos sidurim do Movimento Massorti.

O acesso à educação judaica para as mulheres em igualdade de condições com os homens é algo que o Judaísmo Conservador faz questão de enfatizar.

Os seminários rabínicos massortis ordenam homens e mulheres para a atuação rabínica e cantorial (ḥazanim e ḥazaniot).

Nas sinagogas massortis, homens e mulheres se sentam juntos.

A cerimônia de Bat Mitzvá surgiu no Movimento Conservador, realizada pela filha do rabino Mordechai Kaplan.

Ao longo dos anos, o movimento tem incentivado as mulheres a assumirem papéis de liderança, religiosa e laica, profissional e voluntária.

Comunidade LGBTQ

Judeus e judias LGBTQ são bem vindas/os e, de modo geral, têm liberdade para se portar e se expressar religiosa, afetiva e intelectualmente. 

O Movimento Massorti já endossou decisões religiosas a favor e contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Em 2006, os dois seminários rabínicos Massortis dos EUA, JTS e Ziegler School of Rabbinic Studies, passaram a admitir estudantes abertamente gays. Alguns anos depois, o Instituto Schechter, em Jerusalém, passou a fazer o mesmo.

Casamentos inter-religiosos

Os rabinos massortis não podem oficiar casamentos inter-religiosos. Nos últimos anos, porém, têm acolhido casais e famílias inter-religiosas em suas congregações.

Matrilinearidade

O Judaísmo Massorti reconhece a ascendência matrilinear, ou seja, considera judeus os filhos e filhas de mães judias.

Andar de carro no Shabat

Desde os Anos 1950 – há 70 anos – o Movimento Massorti permite seus membros irem de carro para a sinagoga (mas para nenhum outro lugar) no Shabat, de modo que quem more longe da sinagoga possa frequentá-la.

No Séc. XXI

As instituições massortis trabalham dedicadamente para formar lideranças com elevado nível  de observância judaica, excelência acadêmica em estudos judaicos, engajamento e bom nível de hebraico, mantendo um núcleo capaz de levar adiante os valores judaicos.