Iom Hazikaron

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Dia em Memória dos Soldados das FDI (Forças de Defesa de Israel) e das vítimas do terror

Yom Hazikaron é um dia de luto israelense, em memória daqueles e daquelas que deram suas vidas em defesa do Estado de Israel. A Knesset – o Parlamento Israelense – estabeleceu o dia anterior a Iom Haatzmaut (Dia da Independência de Israel) para recordar e honrar os soldados que perderam suas vidas em defesa de Israel desde muito antes da criação do Estado.

Yom Hazikaron: Israel's Memorial Day | My Jewish Learning

São recordados os/as israelenses que, desde 1860, morreram desde a primeira vez que foram autorizados a viver na Terra de Israel, fora dos muros da Cidade Velha de Jerusalém; passando pela Guerra da Independência (1948-9) e as demais guerras e conflitos até os dias atuais.

É um dia solene, durante o qual todos os locais de entretenimento ficam fechados, as estações de rádio e televisão transmitem programas sobre as guerras de Israel em clima de tristeza e sirenes de dois minutos soam por todo o país: uma vez ao anoitecer, abrindo a cerimônia oficial no Kótel – o Muro Ocidental (ou das Lamentações), quando a bandeira de Israel é colocada à meia altura; e uma vez pela manhã, antes da cerimônia memorial nacional, no cemitério militar no Monte Herzl, em Jerusalém, em diversos cemitérios militares e praças públicas.

Durante o toque das sirenes, todo o país para: os carros são estacionados nas laterais das ruas e estradas e seus ocupantes ficam em silêncio, ao lado dos veículos. Iom Hazikaron cehga ao fim ao anoitecer, quando começam as comemorações Yom Haatzmaut e a bandeira de Israel é plenamente hasteada.

Até 2019, o número de soldados e vítimas do terror nas guerras de Israel e nas guerras pré-independência, desde 1860, foi de 23,741 pessoas.

Havdalah: A Transitional Ceremony between Yom Ha'Zikaron to Yom Ha ...Havdalá entre Iom Hazikaron e Iom Haatzmaut

O serviço de transição entre o luto e a celebração, criado pela Comunidade Judaica Beit Tefilá Israeli (BTI), vem se espalhando por Israel e por alguns lugares do mundo.

De todos os feriados em Israel, Iom Hazikaron e Iom Haatzmaut estão conectados de forma extraordinariamente comovente. A proximidade entre ambos, a enorme dicotomia entre o que marcam e os diferentes rituais que os acompanham levaram a BTI a criar uma cerimônia que mistura tradição judaica e cultura israelense moderna, utilizando o ritual da Havdalá, que tradicionalmente distingue um dia sagrado de um dia comum.

Neste caso, a Havdalá distingue a santidade de Iom Hazikaron da santidade de Iom Haatzmaut. Tradição e modernidade se unem para falar ao coração do povo judeu, particularmente israelense, nos tempos atuais.

Segundo o Rabino Levy Kelman, da Comunidade Reformista Kol Haneshamá, em Jerusalém: “Na verdade, esta cerimônia de Havdalá está invertida. A cerimônia entre Iom Hazikaron e Iom Haatzmaut nos leva da consciência da morte e do luto à celebração do renascimento e da vida. Por isso, recitamos ‘Aquele que diferencia entre o Santo e o Santo, entre a escuridão e a luz, entre a dor e a alegria, entre o dia de luto e o dia festivo, entre o Dia em Memória e o Dia da Independência….’. Recitamos o verso (da Havdalá tradicional) ‘Ozí vezimrát Yá, vaiehi li lishuá –  Deus é a minha força e o meu canto, Ele se tornou a minha redenção’ (Êxodo 15:2, Salmos 118:14). A própria música ajuda a fazer a transição para o Dia da Independência – tanto letra quanto melodia. Encerramos com um poema escrito pelo poeta israelense Guilad Meíri, com canções pela paz e, é claro, com Hatikva, o Hino Nacional de Israel”.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]